fbpx
PT  |  
   (+351) 220 108 000       anje@anje.pt         

Newton conquista o 21º Prémio do Jovem Empreendedor

A startup Newton, responsável por uma inovadora solução de recrutamento através do chat do Messenger no Facebook, foi a grande vencedora do 21.º Prémio do Jovem Empreendedor da ANJE, cuja cerimónia de entrega teve lugar a 28 de novembro no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa. O artista urbano Vhils, o programa Mentes Empreendedoras, a empresa Mak Sense e o empreendedor Ricardo Santos Silva foram os vencedores nas categorias Cultura, Empreendedorismo Social, Exportador e Diáspora, respetivamente. O fundador do Grupo Simoldes e atual presidente do seu Conselho de Administração, António da Silva Rodrigues, recebeu o Prémio Carreira.

A Newton é uma startup criada no ano passado em São Francisco, nos Estados Unidos, por Hélder Silva e Rui Costa. O primeiro é formado em Neurociências e o segundo em Engenharia Informática e a amizade, o gosto pela tecnologia e o espírito empreendedor juntou estes dois jovens portuenses num projeto de desenvolvimento de uma solução tecnológica que combina algoritmos de deep learning e NLP (processamento de linguagem natural) para ajudar, não só candidatos a emprego a encontrarem oportunidades de trabalho, mas também empresas a recrutarem capital humano.

Na génese da empresa esteve a Newton Labs, criada em 2016, depois dos dois empreendedores se terem conhecido numa hackathon (maratona de programação), no Porto. Tratava-se uma rede alumni para aproximar recrutadores e antigos estudantes universitários e, apesar de não ter resultado, serviu para que Hélder Silva e Rui Costa percebessem que simplificar os processos de recrutamento era uma necessidade do mercado e por isso uma ideia de negócio com potencial.

Já nos Estados Unidos, os dois empreendedores desenvolveram uma solução de recrutamento através do chat do Messenger no Facebook. Solução, essa, que alia a inteligência artificial ao processamento de linguagem natural de forma a encontrar os melhores candidatos para as vagas de emprego. A conversa desenrola-se no chat e o objetivo é chegar a uma lista reduzida com os melhores “matchs” para recrutamento de candidatos, sendo todo este processo realizado em menos de 20 minutos graças à inteligência artificial. Desta forma, as empresas veem os seus processos de recrutamento bastante facilitados, ao passo que os candidatos encontram as ofertas de emprego mais adequadas ao seu perfil.

A Newton já recebeu financiamento em cerca de 400 mil dólares (mais de 350 mil euros) de investidores como a Universidade de Oxford ou a Will Group (um dos gigantes japoneses de recrutamento), tendo no ano passado sido avaliada em 5,1 milhões de dólares (mais de 4,4 milhões de euros). Neste momento, a empresa está a expandir as suas atividades para a Europa e Ásia, nomeadamente Portugal e Japão, prevendo-se um retorno na ordem dos 10 milhões de euros no final deste ano. Entre os seus clientes destacam-se empresas como a Nike, a Uber, o Youtube e a Starbucks, bem como instituições de ensino superior como o MIT e as universidades de Harvard, Berkeley e Stanford.

Pela vitória, os fundadores da Newton recebem 10.000 euros para aplicar obrigatoriamente no capital social da empresa e vão poder usufruir de serviços de formação/mentoria, coaching, incubação, aceleração e networking avaliados em cerca de 15.000 euros. Estes serviços são prestados pela ANJE e por parceiros da iniciativa. Há ainda a possibilidade da Newton ser financiada pela Portugal Ventures (sociedade gestora de fundos de capital de risco públicos), que é parceira do Prémio. Este financiamento está, contudo, dependente de um processo de análise e avaliação da empresa, de acordo com os procedimentos de screening habitualmente adotados pela Portugal Ventures.

A Newton era um dos três projetos da shortlist de finalistas apurada pelo júri do Prémio (constituído por reconhecidos especialistas do setor empresarial e financeiro), ficando à frente das startups Ydata e Hijiffy. A Ydata é uma plataforma de criação de dados sintéticos a partir de ruído aleatório, que utiliza um modelo de inteligência artificial, o deep learning. A Hijiffy, por seu turno, é uma plataforma de comunicação para hotéis, que centraliza, automatiza e mede o atendimento ao cliente.
Para o presidente da ANJE, José Pedro Freitas, “a Newton tem as características essenciais dos negócios da nova economia: conhecimento especializado, inovação disruptiva, tecnologias digitais, capital humano, escalabilidade e dimensão internacional”. Neste sentido, “é muito gratificante para a ANJE e para os parceiros institucionais do Prémio distinguirem e apoiarem um projeto com tão grande potencial de crescimento”.

«De resto, os três projetos finalistas têm uma base tecnológica, algo que começa a ser recorrente no Prémio do Jovem Empreendedor”, sublinha o presidente da ANJE. “Nas últimas edições, a maioria dos projetos concorrentes, e sobretudo os vencedores, eram inovadores, baseavam-se em conhecimento e incorporavam tecnologia. Isto é um reflexo da crescente sofisticação do empreendedorismo português, bem como da consolidação da ANJE como hub de startups de base tecnológica”, garante José Pedro Freitas.

Prémio Carreira para António da Silva Rodrigues

A somar ao galardão principal, o júri distinguiu jovens empreendedores nas categorias Cultura, Empreendedorismo Social, Exportador e Diáspora. Estas distinções foram a grande novidade desta edição do Prémio do Jovem Empreendedor, em que, como habitualmente, foi também entregue o Prémio Carreira da ANJE.

Na categoria Cultura foi premiada a inventividade de Vhils, artista urbano que se notabilizou pela sua inovadora técnica de escultura em baixo-relevo. O programa Mentes Empreendedoras viu reconhecido com o prémio Empreendedorismo Social o seu modelo de formação experiencial, com o qual desenvolve competências de liderança, autonomia e talento em alunos do secundário. Na categoria Exportador, o vencedor foi a Mak Sense – empresa que criou uma solução tecnológica (patenteada) para laboratórios de análises clínicas in vitro que rompe com a tradicional abordagem de automação. Por fim, a categoria Diáspora distinguiu Ricardo Santos Silva, empreendedor e investidor português nos setores financeiro, tecnológico e mineiro. É cofundador da Aethel Partners, uma financeira com sede em Londres, e da Dorae, empresa inovadora em tecnologia blockchain.
Como habitualmente, foi entregue também o Prémio Carreira, agora designado Prémio Carreira Paulo Nunes de Almeida, em homenagem ao recentemente falecido empresário e líder associativo que esteve na génese da ANJE e desempenhou um papel igualmente importante na Associação Têxtil de Portugal e na Associação Empresarial de Portugal. Coube ao comendador António da Silva Rodrigues receber o Prémio Carreira 2019, que reconhece o percurso de excelência do empresário que preside ao grupo Simoldes.

António da Silva Rodrigues nasceu em 1942 na freguesia de Ul, concelho de Oliveira de Azeméis, onde concluiu a 4ª classe, tendo começado a trabalhar na indústria de moldes de plástico logo aos 14 anos. Em 1959 fundou o Grupo Simoldes, líder mundial na fabricação de moldes para construtores automóveis, com 18 unidades industriais distribuídas por seis países. Foi condecorado pela Presidência da República em dois momentos: em 1995, com a comenda de Mérito Industrial e, em 2006, com a mesma comenda mas com o grau de Grande Oficial. É presidente da Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis.

20 anos a premiar o empreendedorismo jovem

O Prémio do Jovem Empreendedor foi criado em 1998 pela Academia dos Empreendedores da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários, tendo já galardoado (como vencedores absolutos, vencedores por categorias e menções honrosas) 44 projetos empresariais e seus responsáveis. Na sua primeira edição, o galardão da ANJE consagrou a Critical Software, que é hoje uma referência mundial no desenvolvimento de soluções de software e serviços de engenharia de informação para o suporte de sistemas críticos. De resto, ao longo das suas várias edições, o Prémio do Jovem Empreendedor distinguiu outras empresas de base tecnológica com intensidade de inovação e internacionalmente competitivas, como a Crioestaminal, a Biosurfit, a Ative Space Technologies, a Master Blank, a CreativeBitBox, a Acellera Therapeutics, a Bn´ML, a Top Research, a TargetTalent, a Exogenus Therapeutics e a Infraspeak.