PT | EN

Centro da Póvoa reforça rede de incubação ANJE

Linc

A ANJE acaba de inaugurar um Centro de Incubação na Póvoa de Varzim, possuindo agora 13 infraestruturas espalhadas pelo país e perto 200 espaços físicos para a instalação de empresas, aos quais se somam inúmeras possibilidades de incubação virtual. Contando atualmente com 195 empresas incubadas, 53 das quais virtualmente, a rede de centros empresariais da associação já lançou no mercado perto de 800 PME e contribuiu para a criação de cerca de 2.500 de postos de trabalho diretos. O volume de negócios envolvido rondou, em 2011, os 30 milhões de euros. 

A nova infraestrutura da ANJE inclui nove espaços destinados à instalação de empresas e beneficia de um conjunto de sinergias de apoio à iniciativa e ao desenvolvimento empresarial, decorrentes da rede nacional de incubação da associação. Rede essa que incluía já edifícios nos seguintes locais: Porto (Centro de Incubação do Porto e Incubadora Portugal Global), Matosinhos, Maia, Trofa, Aveiro, Barcelos, Oeiras, Faro, Montalegre, Boticas e Ribeira de Pena.  
 
No seu conjunto, os projetos empresariais suportados presentemente pela ANJE empregam 398 profissionais e reportam a áreas de atividade variadas. As novas tecnologias de informação, comunicação e eletrónica (TICE) são uma aposta crescente da associação, que através da incubadora tecnológica Portugal Global oferece aos empreendedores um ecossistema favorável ao desenvolvimento deste tipo projetos de negócio em estádios start up e early stage. 
 
A incubação tecnológica consubstancia o empenho da ANJE na revitalização do tecido empresarial português e vem integrar-se numa consolidada estratégia de promoção da inovação. De resto, o carácter multissectorial e simultaneamente regional da rede de centros empresariais da associação transforma as infraestruturas de acolhimento de empresas em pólos de lançamento de PME, potenciadores do desenvolvimento económico local. 
 
Para além de estar associada a um promissor núcleo de negócios tecnológicos, a ANJE reúne nas suas incubadoras empresas de serviços, que vão desde o setor da formação à consultoria, passando pela comunicação, marketing, publicidade, design, arquitetura, turismo ou saúde. Os negócios industriais estão igualmente representados. No Centro de Incubação de Aveiro, são 12 os pavilhões especialmente preparados para acolher esta tipologia de empresas.
 
Incubadoras do Barroso: empreendedorismo social em contexto rural 
 
Enquadrados nos paradigmas de economia sustentável e de empreendedorismo social, os Centros de Incubação de Montalegre, Boticas e Ribeira de Pena distinguem-se pela criação de condições infraestruturais, humanas e sociais favoráveis à iniciativa empresarial jovem em contexto rural. Estes espaços assumem-se assim como pólos de incentivo e de apoio à atividade empreendedora e estão associados a políticas regionais de atração da população mais jovem e de combate ao desemprego e à desertificação. 
 
Aos serviços de incubação tradicionais, a ANJE agrega também a valência da incubação virtual, através do qual apoia empresas que, para além de envolverem poucos recursos humanos, desenvolvem atividades que não exigem, ou não justificam, o investimento em infraestruturas. Nestes casos, os 13 centros empresariais servem de base física de negócios, funcionam como sede social e também como ponto de encontro entre empresários, clientes e parceiros, através da utilização dos serviços de secretariado, bem como de espaços comuns, de que são exemplo as salas de reuniões. 
 
Distinguindo-se das incubadoras universitárias pelo know-how acumulado e pela proximidade com o meio empresarial, os Centros de Incubação da ANJE têm para oferecer muito mais do que condições logísticas adequadas à instalação de negócios nascentes promovidos por jovens (40 anos é a idade máxima dos empresários). Para além das naturais sinergias entre os projetos incubados, a ANJE e os seus consultores reúnem condições para, sempre que necessário, acompanharem tecnicamente o desenvolvimento das empresas.
 
29.05.2012