PT | EN

Cavaco Silva entrega Prémio do Jovem Empreendedor

09%20anje

Claudia Ranito conquistou o 12.º Prémio do Jovem Empreendedor, iniciativa promovida pela ANJE com o apoio do IEFP. O galardão foi entregue pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no passado dia 24 de fevereiro, na Alfândega do Porto. A cerimónia de entrega contou com a participação de cerca de 500 pessoas e, entre os destacados convidados (figuras do meio politico, associativo, académico, financeiro e empresarial), evidenciaram-se o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, o secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira, o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre, e a secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário, Isabel Leite.

Com 31 anos de idade, Claudia Ranito é a fundadora e CEO da startup de biotecnologia Medbone – Medical Devices. Possui formação graduada e pós-graduada (mestrado) em Engenharia de Materiais pela Universidade Nova de Lisboa, leva já dez anos de experiência em biomateriais (I&D, certificação, produção e distribuição), venceu diversos prémios de mérito e publicou artigos científicos da especialidade.
 
A Medbone dedica-se à produção de substitutos ósseos para cirurgia ortopédica, dentária e veterinária. Os produtos fabricados por esta inovadora startup têm propriedades semelhantes às do osso natural, possibilitando melhor qualidade de vida aos pacientes. Espanha, Dinamarca, Polónia, Kuwait, Camboja, Hong Kong, Colômbia, África do Sul e Moçambique já utilizam os substitutos ósseos desenvolvidos pela Medbone, empresa criada em 2008 e que é já uma referência, em Portugal, na área da regeneração óssea. 
 
O projeto apresentado por Claudia Ranito foi eleito entre os seis finalistas do prémio. O júri presidido pelo diretor-geral da COTEC, Daniel Bessa, decidiu distinguir a Medbone em detrimento das startups Cell2B, Science4you, Efisenergy, Bastidor Público e Face MBA. O júri do prémio avaliou os projetos em função dos seguintes requisitos: características empreendedoras/inovadoras; viabilidade económico-financeira; exequibilidade financeira e operacional. Refira-se que, no total, concorreram ao Prémio do Jovem Empreendedor 186 projetos empresariais.
 
Seis startups concorriam ao mais antigo galardão de empreendedorismo
 
Entre os seis finalistas, o setor da saúde foi, à semelhança da edição transata do prémio, o setor mais representado, pois, para além da Medbone, foi selecionada para a shortlist final a Cell2B. Esta empresa da área da biotecnologia desenvolve técnicas de terapia celular, com o propósito de solucionar os problemas de rejeição de órgãos transplantados.
 
Igualmente representadas no concurso estiveram as novas energias, através da Efisenergy. Esta empresa desenvolveu um inovador sistema de produção de energia elétrica e térmica, a partir da radiação solar. Já a Science4you dedica-se à criação, desenvolvimento e comercialização de brinquedos formativos/educativos, com os quais se procura sensibilizar as crianças e a comunidade para as questões das ciências experimentais no quotidiano. 
 
Do rol de finalistas constavam ainda os projetos Face MBA e Bastidor Público. O primeiro projeto consiste numa rede social dirigida exclusivamente a estudantes de MBA, desde que estes procuram a instituição de ensino mais adequada ao seu perfil até à fase de alumnus. Paralelamente, a plataforma oferece às escolas de negócios aderentes formas de promoção dos seus cursos. Por fim, a Bastidor Público é uma empresa da área das indústrias criativas, que se propõe usar o teatro e as artes performativas como meio de transmitir, ao público empresarial e do ensino não artístico, um conjunto de experiências de desenvolvimento de competências e de formação comportamental.
 
Vencedor recebe €20.000 
 
O Prémio do Jovem Empreendedor foi criado em 1998, com o intuito de distinguir e valorizar empresas em fase de criação e/ou expansão de negócios. O certame beneficia do apoio do IEFP e atribui ao melhor projeto apresentado a concurso um prize money no valor de €20.000, para além de garantir o acesso a instrumentos de incentivo financeiro e infraestrutural, através das iniciativas ANJE Ninhos de Empresas, Centros de Incubação e Programas de Apoio a Jovens Empresários.
 
Na primeira edição, o Prémio do Jovem Empreendedor consagrou a Critical Software, hoje uma referência mundial no setor das Tecnologias de Informação e Comunicação. Ao longo destes anos, o galardão da ANJE distinguiu ainda projetos de negócio tão inovadores e competitivos como a Central Casa, a Stab Biotec, a Crioestaminal, a Biosurfit e, mais recentemente, as promissoras empresas Ative Space Technologies, Master Blank, CreativeBitBox e Acellera Therapeutics. 
 
Nesta edição, o júri composto por Daniel Bessa (COTEC), Alberto Castro (Universidade Católica), Ana Teresa Lehmann (CCDRN), Jorge Martins (BES), Manuel Ferreira da Silva (BPI), Miguel Henriques (Grupo Lena) e Pedro Matias (IAPMEI) decidiu não atribuir menções honrosas. 
02.03.2012