PT | EN

Governo disponibiliza 50 milhões para empreendedorismo e inovação

Shutterstock_87044
O cenário de recuperação da economia e do tecido empresarial português ganha novo fulgor após o anúncio protagonizado pelo ministro da Economia, António Pires de Lima, ontem, no final do Conselho Nacional de Empreendedorismo e Inovação. As novas empresas terão mais 50 milhões de euros para financiamento, disponíveis já a partir de janeiro, através de um conjunto de medidas justificado pela estratégia de crescimento económico nacional.
 
No rescaldo da reunião entre o Governo e o Conselho Nacional de Empreendedorismo e Inovação, o detentor da pasta da Economia afirmou que “o Governo quer ser um parceiro para o crescimento e emprego” e que “a estratégia de desenvolvimento da economia portuguesa passa por valorizar componentes fundamentais como o empreendedorismo e inovação”. Pires de Lima foi mais longe e adiantou metas para a economia nacional, afirmando que o executivo quer ser parceiro de uma “estratégia de crescimento que ponha a economia a crescer, pelo menos, 0,8% já em 2014”.
 
Focado no desenvolvimento do ecossistema empresarial português, o membro do executivo começou assim por anunciar a criação de “uma nova linha de apoio a start-ups por parte da Portugal Ventures (operadora de capital de risco público) no valor de 35 milhões de euros, que será ativada já a partir de janeiro”. Em seguida, Pires de Lima confirmou a disponibilização de 15 milhões de euros, através de uma linha de financiamento dedicada ao “arranque de novos projetos empresariais”. Nesta rede de incentivo aos novos negócios vão participar “business angels, em parceria com a sociedade civil”.
 
No pacote de medidas desenhado para o crescimento da economia e dos níveis de emprego nacionais insere-se ainda a criação de um novo centro de atividade para as empresas portuguesas vinculadas ao setor da biotecnologia, em Boston, nos Estados Unidos da América. O novo espaço vai seguir o modelo de funcionamento do acelerador de empresas já existente em Silicon Valley e assume-se como uma oportunidade para os empresários nacionais adquirirem “uma exposição internacional num mercado mais evoluído e com maior potencial em termos de novas atividades empreendedoras”, referiu o ministro da Economia.
 
Lançando um olhar sobre o futuro, Pires de Lima revelou ainda uma meta para a economia nacional a longo prazo, afirmando que “o objetivo é que até ao final da década mais de 52% da riqueza criada em Portugal seja sustentada nas nossas exportações”.
 
17.01.2014