PT | EN

Veniam conquista o primeiro ScaleUp Portugal Award Tech

Scaleup%20award%20tech_veniam

A Veniam é a ventured-backed scaleup que acaba de garantir a vitória na primeira edição do Scaleup Portugal Award – Tech. O galardão promovido pela ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários visa distinguir projetos tecnológicos de crescimento acelerado que apresentam já volumes de receitas acima dos 500 mil euros e uma experiência bem-sucedida na captação de investimento num montante superior a um milhão de dólares. A scaleup portuguesa baseada no Porto garantiu a distinção com a solução que transforma veículos em spots de wifi, viabilizando a criação de redes de internet veiculares nas cidades. O galardão foi entregue na noite de 29 de novembro, no Palácio da Bolsa (Porto), durante a Gala do Prémio do Jovem Empreendedor.

A ANJE reservou algumas novidades para a Gala do Prémio do Jovem Empreendedor deste ano. A par dos habituais Prémio do Jovem Empreendedor e Prémio Carreira, foram ainda atribuídos, na noite de 29 de novembro, os Scaleup Portugal Awards Tech e Industry 4.0, bem como o Prémio do Jovem Empresário Powered by Dinheiro Vivo. Com o galardão Scaleup Portugal Award – Tech, a Associação pretende destacar os negócios tecnológicos com melhor desempenho no passado recente, não apenas em matéria de faturação, mas também na captação do interesse, capital e know-how de investidores portugueses ou internacionais. Na primeira edição da competição, a vitória sorriu à Veniam após um processo de avaliação independente levado a cabo pela PwC Portugal. A empresa tecnológica fundada, em 2012, por João Barros, Susana Sargento, Robin Chase e Roy Russel constrói e opera redes de internet veiculares nos espaços urbanos, permitindo aumentar a cobertura de wireless e coletar terabytes de informação sobre as cidades.
 
A capacidade da Veniam para transformar veículos em spots de Wifi é particularmente útil em infraestruturas portuárias, terminais de contentores ou outros espaços com muitos veículos e máquinas em constante movimento, na medida em que a tecnologia da scaleup portuguesa permite aos trabalhadores e plataformas estarem sempre conectados de forma segura, independentemente da velocidade a que circulam.
 
Desde a entrada no mercado em 2012, a scaleup tecnológica portuguesa já captou 26,9 milhões de dólares, provenientes de agentes de investimento estrangeiros em duas rondas distintas. A primeira ronda decorreu em dezembro de 2014 e envolveu a Union Square Ventures e a True Ventures, numa operação que rondou os 4,9 milhões de dólares investidos. Mais tarde, em fevereiro de 2016, os dois fundos voltaram a investir na empresa juntamente com a Verizon Ventures e a Cisco Investments. Desta feita, o montante injetado totalizou 22 milhões de dólares.
 
Para Adelino Costa Matos, Presidente da ANJE, “O galardão do Scaleup Portugal Award – Tech permite evidenciar os casos de referência entre a nova fornada de negócios a nascer em Portugal, assente numa forte base tecnológica e com rápidas trajetórias de crescimento no mercado global. É cada vez mais frequente vermos, em Portugal, projetos com modelos de negócio disruptivos que recorrem à tecnologia para transformar processos, modelos de interação e experiências no mercado. Este galardão vem premiar as empresas que se distinguem neste segmento, com resultados evidentes na faturação, no investimento externo que conseguem atrair e nas surpreendentes e positivas avaliações que o mercado lhes atribui”, complementa o responsável.
 
“A Veniam é um indesmentível caso de sucesso nacional de boa aplicação da tecnologia, com impacto direto na sociedade e no tecido empresarial em três níveis distintos. Por um lado, a conexão permanente à Internet que a scaleup permite aos cidadãos veio mudar o comportamento e as interações sociais, enquanto, por outro, as empresas, as autarquias e outras entidades de utilidade pública têm agora uma noção muito mais exata dos comportamentos, desejos e anseios dos consumidores, através da informação e dos dados que a solução de internet com mobilidade da Veniam permite recolher. Num terceiro nível de análise, a empresa é também um exemplo para as startups tecnológicas a despontar agora para o mercado pela sua capacidade única de internacionalizar com celeridade e captar mais de 26 milhões de dólares em financiamento de investidores externos no prazo de cinco anos”, observa Adelino Costa Matos.
 
30.11.2017