PT | EN

Programa Garantia Jovem: oportunidades para 300 mil jovens desempregados

Dv1763034
O combate ao desemprego terá um novo mecanismo de apoio, já a partir do início deste novo ano. Trata-se do programa Garantia Jovem, que substitui o Impulso Jovem e pretende apoiar, durante os próximos dois anos, 300 mil portugueses em situação de desemprego.
 
Durante o seminário “Emprego Jovem-Garantia Jovem”, decorrido no final de dezembro, em Lisboa, o primeiro ministro, Pedro Passos Coelho, abordou a importância do programa para a economia portuguesa e apontou os “jovens portugueses que estão desempregados” e os “que abandonaram precocemente a sua formação” como os principais alvos deste apoio.
 
Financiado com 300 milhões de euros provenientes de fundos europeus, o Garantia Jovem responde à subida do desemprego jovem registada durante o mês de novembro e reforça o papel de integração social, cumprido pelo programa Impulso Jovem que já ajudou a empregar cerca de oito mil pessoas.
 
O ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, anunciou ainda, em conferência de imprensa, que o Garantia Jovem pretende atuar através de “incentivos à contratação, medidas ativas de emprego que permitam a contratação de jovens em condições favoráveis”, “um conjunto de estágios quer em empresas, quer em instituições da economia social, e um programa também de estágios na própria função pública”, para além de “medidas de apoio à criação do próprio emprego”.
 
O detentor da pasta do Emprego reforçou assim a importância das oportunidades conferidas pelo programa direcionado aos jovens, com idade compreendida entre os 15 e os 30 anos, que não se encontrem a estudar ou a frequentar programas de formação. Na opinião de Pedro Mota Soares, o Garantia Jovem pode ser uma saída profissional para “muita gente muito nova ainda sem uma oportunidade”.
 
26.12.2013