PT | EN

Darono: O nó como princípio criativo

Perfildarono
Design sem limites é a proposta da Darono para a execução manual de uma vasta gama de home fashion objects. Tudo começa com um nó e um processo produtivo e criativo 100% português, mas o alcance é já global. Catarina Carvalho, fundadora da startup associada da ANJE está, tal como a Associação, a caminho dos 30 anos e revela com entusiasmo que as suas peças são exibidas em espaços tão conceituados como o Hard Rock Hotel Ibiza (Espanha) ou o Grand Palladium Hotels & Resorts Vallarta (México). De resto, a empresa conta já “Com peças vendidas para 19 países, em quatro continentes” e níveis de exportação acima dos 90% desde 2013.  
 
O primeiro passo da Darono até chegar ao mercado foi dado em janeiro de 2013. Catarina Carvalho, Ana Freitas e Fernanda Carvalho visitavam a Maison & Objet, feira profissional de decoração interior, e decidiram reunir competências nas áreas de gestão/comercial, design e produção (respetivamente) para apresentar uma proposta com vários protótipos à organização o certame. “Decidimos elaborar alguns protótipos e submetemos à organização da feira Maison & Objet. O feedback foi extremamente positivo. A organização disse-nos que teríamos espaço reservado na próxima edição do certame, em setembro”, refere a responsável. Entre março e setembro de 2013, as três fazedoras desenvolveram a coleção, a identidade e a imagem da Darono e fizeram a apresentação da marca em Paris.
 
A marca de design cria peças únicas, personalizadas com uma fibra própria: têxtil técnico composto por poliéster e viscose. Este fio encorpado diferencia a empresa pelos materiais e pela execução, resultando numa trança, em torno da qual todas as peças se desenvolvem e criam, sempre com recurso a técnicas manuais. Eco-friendly, a matéria-prima do projeto possibilita uma paleta de cores alargada e a construção de peças adaptáveis a diferentes tipos de ambiente: sóbrios, divertidos, calmos, vibrantes, quentes ou frios.
 
“Os principais projetos da Darono até ao momento foram solicitados por agentes no ramo de hotelaria e projetos privados”, revela Catarina Carvalho. Os dois segmentos referidos já foram responsáveis por múltiplos pedidos, caraterizados pela necessidade de acolher peças únicas e desenhadas à medida de cada espaço. Com uma orientação eminentemente global, o projeto exporta mais de 90% dos seus produtos e já está presente em 19 países. A marca não tem ainda um mercado de referência identificável, mas Catarina Carvalho destaca a deteção de “uma tendência para acolher pedidos de mercados extra comunitários”.
 
DIVERSIFICAÇÃO E EXPANSÃO NOS PLANOS PARA O FUTURO
 
Os próximos passos da Darono combinam a continuidade da estratégia de expansão internacional com o desejo de inovar nos produtos concebidos pela marca. "A Darono definiu-se, desde a sua criação, como uma empresa vocacionada para a exportação e por isso iremos continuar com essa filosofia, reforçando e expandindo a posição da marca a nível mundial", menciona a empreendedora sobre a abordagem a novos mercados. Para o futuro também "temos algumas novas linhas de produto em desenvolvimento e interessantes sinergias a revelar em breve", afirma a responsável.
 
Sediado em Viana do Castelo, o projeto conta, além da participação na Maison & Objets Paris e na Maison & Objets Americas, com algumas referências em publicações internacionais de home fashion objects, arquitetura e decoração. São exemplos as publicações nas francesas Interieurs Mag e Marie Claire Enfants, na britânica Archiproducts, na escocesa Homes & Interiors of Scotland, na Archichetural Digest Italy ou na Better Homes and Gardens magazine.
 
BI DA EMPREENDEDORA
 
Catarina Carvalho tem 29 anos, é natural de Viana do Castelo e fundadora da marca Darono. A empreendedora completou o seu percurso académico na Faculdade de Economia da Universidade do Porto e na Porto Business School, assumindo atualmente a gestão integral do projeto.
14.04.2016