PT | EN

As #businessrunners ANJE na Web Summit: o que retirou Ana Cristina Gonçalves desta experiência tecnológica?

Ogmedica_facebook%20post
A ANJE sorteou quatro bilhetes para a Web Summit na sua comunidade de empresárias associadas, incubadas e que frequentaram programas de aceleração. Terminado o certame, desafiámos as nossas #businessrunners a partilharem mais sobre a experiência vivida nas quatro jornadas do evento.
 
Ana Cristina Gonçalves é a primeira #businessrunner a revelar a sua perspetiva da Web Summit. A associada da ANJE é co-fundadora e Diretora Comercial da OG Medical, uma startup focada na representação de tecnologias médicas inovadoras que suportem a digitalização dos processos clínicos do paciente e no e-Health, com o objetivo de melhorar a experiência do utente. Conheça a perspetiva de Ana Cristina Gonçalves sobre os quatro dias vividos na Web Summit.
 
 
 
 
1. O que é que que torna a Web Summit única e diferente de todos os eventos em que já esteve?
 
Uma velocidade inigualável de informação e de experiências únicas a acontecer a cada momento e em todos os lugares.
 
2. Qual o melhor contacto que fez no evento?
 
Um responsável por uma tecnologia disruptiva para o e-Health.
 
3. Qual a maior aprendizagem que retirou desta experiência? 
 
A maior aprendizagem que extraio é que efetivamente podemos fazer parte da mudança e que ela está a acontecer. Além do mais, a Web Summit é sem dúvida o evento mais disruptivo que já alguma vez participei.
 
4. Se pudesse escolher um dos palcos/conferências da Web Summit para estar qual seria? Porquê essa escolha?
 
Palco do e-Health. Enquanto profissional e representante da OG Medical, é a minha intenção acrescentar valor ao setor da saúde, influenciar na utilização de metodologias que aportem benefícios tangíveis à qualidade de vida dos portugueses e este seria sem dúvida o local ideal para trabalhar nessa influência.
 
5. Se tivesse de descrever a importância desta experiência para a sua evolução como empresária/#businessrunner numa frase qual seria?
 
Eu destacaria os três principais fatores que reforçaram a minha visão como empresária. O primeiro é a noção clara de que é fundamental antecipar o mercado e acompanhar a velocidade das interações comerciais e humanas para aceder às oportunidades de excelência. Também percebi a importância de estarmos recetivos a novas experiências como a Web Summit, saindo da nossa zona de conforto e observando de mente aberta para onde o mercado se dirige para ajustarmos rapidamente a nossa estratégia. A terceira lição é que, sem descurar o core da empresa ou dispersar, devemos aproveitar esta agilidade de ação e combiná-la com o planeamento para atingirmos melhores resultados. 
 
20.11.2018